« Nossa intenção é provocar emoções. Todas elas. »

Ao seu lado




" Eu não preciso de você nem para andar e nem para ser feliz
mas como seria bom andar e ser feliz ao seu lado."

(Tati Bernardi)




Fotografia: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Encontrei perdido por aí...

Ele não sabe mais nada sobre mim. Não sabe que o aperto no meu peito diminuiu que meu cabelo cresce que os meus olhos estão menos melancólicos.
Não sabe quantos livros pude ler em algumas semanas. Não sabe quais são meus novos assuntos nem os filmes favoritos. Não sabe que eu nunca mais me atentei para saudade. Que simplesmente deixei de pensar em tudo que me parecia instável. 
Que aprendi a não sobrecarregar meu coração, este órgão tão nobre. Não sabe que tenho estado tão só sem a devastadora sensação de me sentir sozinha. Não sabe que desde que não compartilharmos mais nada sobre nós, eu tive que me tornar minha melhor companhia: nem imagina que foi você quem me ensinou esta alegria.

( Marla de Queiroz) 


Fotografia: Bruna dos Anjos
Modelo: Dane Moore


A tua liberdade

Há momentos infelizes em que a solidão e o silêncio se tornam meios de liberdade.

( Paul Valéry )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Superficial




Se existe beleza superficial,
por que não existiria um amor superficial?





Fotografia e frase: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Imprevissões de dentro dela

Uma tarde de calor.
Uma vida em seu conjunto de emoções, histeria e apatia.
Estava sentindo-se absurdamente estranha.
A brisa que sentia do lado de dentro, causava vertigem.
O verde escurecia e o frescor era estonteante.
O clima primaveril trazia novas ânsias.
Clamava por socorro.
Mas talvez não quisesse que a socorressem.
Ouvia apenas o que o seu ouvido escolhia.
Mas ainda acreditava na sintonia que insistia pensar existir.
Alienava-se em seu mundo particular.
Doía menos ficar por lá?

( Vanessa Hartmann - Fragmentos e Inquietações )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Quando isso vai mudar?

Fiquei ali parada por cerca de meia hora, olhando fixamente para um canto qualquer, indignada, com os olhos cheio de lágrimas e me fazendo a mesma pergunta  a todo segundo:
- Até quando eu vou ser a única a sair ferida da história?
- Quando vou deixar de ser a vítima?

Eu queria ser a causadora  da próxima vez, da próxima vez queria eu desaparecer,queria eu colocar o ponto final,queria ser eu a ficar na indecisão, queria ser eu a colocar saudade no peito de alguém e fazer as lágrimas escorrerem pelo seu rosto.
É isso mesmo, eu queria ser a safada, a insensível, a confusa, a enrolada, a mentirosa, a traidora dessa vez, pena que sempre sou eu a vítima.
É isso mesmo, cansei de sofrer. Quero ser eu a virar e dizer:
- Ele está na palma da minha mão, ele está louquinho por mim, o idiota já está apaixonadinho, ele tá fazendo "cú doce" mas, de amanhã não passa, AHHHH, esse eu já comi!
Não é o que os homens falam? Agora quero que seja a minha vez.

Queria, mas infelizmente não posso. Agir dessa maneira me deixaria  mais triste ainda, não suportaria a ideia de fazer alguém sofrer por minha causa, muito menos alguém que não merecesse, alguém que me fez rir tantas vezes, alguém que tantas vezes eu beijei e abracei, alguém que se preocupou comigo.
Por que tanta maldade com uma pessoa que cometou um único erro: se apaixonar por mim.

Não, seria doloroso demais ver alguém chorando por minha causa, implorando pra ficar comigo e dizendo que não pode viver sem mim. Só de imaginar eu me sinto uma das piores pessoas do mundo, me pergunto como os homens conseguem agir assim?
Saio daquele momento de transe em que os pensamentos foram tão longe e tiro uma conclusão: Irei continuar sendo a vítima.

(Anne S. Guimarães - Blog E então...)


Look with new eyes

Me pego pensando em tudo o que acontece ao redor... Muitas vezes chego a pensar que nada do que eu digo ou faço, faça alguma diferença para você.
Tantos questionamentos chegam em minha mente de minuto em minuto, tantas coisas, chego a pensar de que talvez será mesmo certo o que ando fazendo, será mesmo que tudo o que digo e faço possa mudar algo em sua vida, seus pensamentos sobre tudo isso??
Certa vez eu li que: "Já que não tenho o dom de modificar uma pessoa, vou modificar aquilo que eu posso; o meu jeito de olhar para ela. " 
Pe. Fábio de Melo. 
Talvez seja isso, vou mudar o jeito de olhar as pessoas talvez com mais sorrisos no olhar. Pode ser que o que eu tenho diante de meus olhos mereça sorrisos.
( Bruna dos Anjos )


Mesmo quando você não sabe para onde vai, ajuda saber que você não está indo sozinha. Ninguém tem todas as respostas. Às vezes, o melhor que podemos fazer é pedir desculpas, e deixar o passado no passado. Outras vezes, precisamos olhar para o futuro e saber que, mesmo quando achamos que vimos de tudo, a vida ainda pode nos surpreender, e ainda podemos surpreender a nós mesmos.
(Gossip Girl)


Fotografia: Bruna dos Anjos

Devaneios poéticos

Em sonhos, tenho asas coloridas.
Viajo pelo espaço sideral…
No regaço da lua adormeço.

Entre um e outro piscar de estrelas,
Acordo lembranças adormecidas.
Sentimentos esgarços pelo tempo,
Banidos por um coração desiludido.

Ah! Esse coração devasso…
Não quer apartar de ti o meu desejo
Não quero vingança, apenas um beijo
Para acalmar essa ausência provocante.

Assim, voltarei a ser mulher,
Lua clara, nua, fascinante…
Farei do meu corpo –  morada tua,
Tua alma meu repouso aconchegante.


( Sandra Lamego - Sandra Lamego Poesia & Arte )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Que tal agradecer mais

Pensa bem, Deus te deu mais um dia, te permitiu acordar e te deu mais uma oportunidade de acertar, e você já fez o que por Ele hoje?


Fotografia: Bruna dos Anjos

Irrelevante

Uma borboleta que não sabe voar
 ela se torna inútil
Uma borboleta sem cores se torna sem graça
e é assim que estou me sentindo inútil e sem graça.


Fotografia: Bruna dos Anjos

Monólogo clichê

— Isso é um sim ou um não?
— Isso é um talvez!
— Isso não muda nada então.
— Muda sim, tudo mudou.
— Mas para melhor ou pior?
— Mudou, apenas mudou, não vê?
— Eu vejo, vejo mas não enxergo.
— Não tente entender as coisas como são.
— Parece tão real…
— As coisas não são o que parecem ser.
— Suas respostas clichês não ajudam em nada.
— Então por que ainda pergunta?
— Simplesmente porque a pergunta existe.
— Muitas coisas existem simplesmente.
- É, mas não estão esmagando a minha cabeça.


( Filipe Acosta )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Aprender os valores em seu leito de esperança...

Eu só preciso andar sozinha por um segundo, só preciso deixar o guarda-chuva
fechado por alguma horas e sentir a chuva deslizar por meu rosto, só preciso
caminhar um pouco no escuro, para não enxergar minha próprias incertezas, só preciso de um momento meu... Depois daquele dia me tornei mais forte para segurar minhas lágrimas, para saber esconder o que não posso mostrar, mas só eu sei de minhas fraquezas, só eu sei pelo o que eu passo quando estou sozinha, só eu sei  o que aquelas gotas de chuva estão escondendo, minhas tristezas são invisíveis ali no escuro, nem a luz da lua são capaz de iluminar meu coração, nem o brilho refletido da mais bela estrela é capaz de realçar outra vez o antigo brilho de meus olhos esverdeados, eles perderam a cor assim como tudo ao meu redor.
 De repente tudo perdeu o sentido, de repente esse lance de acreditar no impossível se tornou tão irônico, essa coisa de sonhar acordada com situações imaginárias se tornou tão insuportável, ver pessoas felizes agora me parece tão superficial, de repente eu vi a esperança de uma vida melhor, de meus sonhos que eu tanto corria atrás, que tanto pensei um dia conseguir, morrendo ali bem na minha frente, e quando olhei para o lado, vi que não tinha mais ninguém para me fazer acreditar, tudo e todos obscuros no caminho negro e pedregoso a minha frente...
Aos poucos aquilo que me parecia assustador se tornou me dia-a-dia, de repente minha melhor companhia era eu mesma, e tudo aquilo que eu imaginava simplesmente se perderam em ilusões! Já faz muito desde que dei meu último sorriso sem esconder qualquer coisa dele, e as únicas coisas que me faziam sorrir, decidiram que lágrimas são mais convidativas. Queria poder gritar, mas não saia som algum, o único som ali presente era o ecos dos meus próprios soluços, por um momento a escuridão foi ficando pior, e a chuva mais forte, foi então ali que percebi alguns valores... Em meu próprio leito percebi, que cada vez que uma lágrima que caia, uma dor de mim era retirada, cada vez que sorria mesmo sem emoção alguma, alguém ao meu lado retribuíra meu sorriso, mesmo não sendo o esperado, que cada vez que alguém me atirava uma pedra, outras tantas rezavam por mim, que a cada coisa tirada de mim, é porque Deus colocaria coisas melhores ao meu caminho, que a única razão de eu sentir essa dor, era para estar preparada pra outras tantas que virão, que se meus olhos e meu mundo perderam a cor, basta chamar outras pessoas, e começar a dar pinceladas, e se não tiver ninguém ao seu alcance, não importa, basta olhar para o céu, independente da situação ele sempre estará azul, e quando ele parece negro, lá no fundo, sempre haverá uma pequena estrela, brilhando, e ela está brilhando por você, para te mostrar que não estás sozinho... 
E foi então que percebi que as árvores ao meu redor começaram um movimento, um ritmo perfeito, o vento soprava embaralhando meus cabelos, e algo me dizia que eu precisava levantar dali, e como braços acolhedores ele me tirou do chão, e foi ai que sorri, e percebi que não importa o tamanho da minha dor, o mundo sempre continuará o mesmo, sem se importar com você, o mundo continuará igual, e as pessoas as mesmas, as dificuldades cada vez maiores, a diferença é que Deus vai estar sempre mais forte dentro de você, e a cada tombo ele levará até você uma brisa de esperança, capaz de em seu leito de alma te levantar, e muitas estrelas para estabelecer o colorido dos seus dias. Eu olhei para o alto, agradeci e sorri, e então percebi, que meu sorriso era capaz de refletir ao luar, e iluminar tantos outros lugares, e lá no alto eu vi meu próprio sorriso me pedindo para sempre independente da situação, nunca esquecer de mostrar que seu sorriso pode ser mais forte, e o verde dos meus olhos me mostrando que quando tudo estiver escuro, basta olhar para mais longe, quebrar todas as barreiras e quando meu sorriso não ser suficiente, basta sorrir com olhar, pois por mais escuro que possa estar, Deus me mostrará o caminho, mas para isso a fé tem que não só no meu coração, mas também no seu olhar, tão forte capaz de ser o suficiente para seguir esse caminho de olhos vendados, e em seu sorriso, para ser suficiente para iluminar quando a luz parecer faltar...

( Natália Maldaner )


Fotografia: Bruna dos Anjos

A tal da solidão

"Eu não aguento mais essa porra dessa solidão que me dá, toda vez que procuro um pouco de amor
 nos beijos e abraços curtos que alguém me dá (...) Chega." 

( Tati Bernardi )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Nós





Nada mais importa.
Basta Eu e Você para se escrever uma história,
para saber o porquê de tanta alegria.





Fotografia: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

All the time





Escreva sua história ...
desenhe com a luz.
Mas não deixe de eternizar momentos.





Fotografia e frase: Jéssica Cunha
Contato:
jessicasilvacunha@gmail.com

Em qualquer linguagem



Amor é amor.
Em qualquer lugar.
Uma linguagem única que é capaz de unir pessoas.
Basta buscá-lo ...
ou até mesmo expressá-lo !




Fotografia e texto: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Voltando ao alvo

Ninguém me conhece de fato pra saber o que vai no meu coração.
Não há alma alguma nessa terra que possa adentrar nos poderes da minha mente, não há... E bendito seja Deus por isso!
Portanto não me julgueis por meus atos ou pelas palavras que tenho dito, não crieis uma figura de mim, porque não estás habilitado para isso. Antes volte-se à ti, conhece-te primeiro e descobrirás mais do que imaginas. Coloque-se como alvo de si mesmo para que não te ocupes em praticar maus atos julgando teu próximo.
Quão grandes nos tornamos quando nos ocupamos de trabalharmos em prol de conhecermo-nos cada vez mais. Edificamos nossa mente e caráter. Tornamos humildes.
Adentre no teu interior e não mais me verás como tu vê...
Só há um que não me julga pelo que faço, mas pelas intenções que carrego no peito e deste eu quero cada dia um pouco mais (Jesus)!

( Jéssica - Vitalize-se! )


Fotografia: Bruna dos Anjos




Feel it !


Um pequena melodia, 
Uma simples composição,
Um só ouvir.

Sinta a música
Deixe os pensamentos fluírem.
Vagar.

Voe,grite,
Mas não pare de cantar.

Não é você.
É a música.
Ecoar.

Just listen to the noises ...
That's my music.





Fotografia e texto: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com
Recomendo ouvir: Johnny Cash - Hurt

Acordei hoje com tal nostalgia de ser feliz.

Não há nada melhor do que acordar e abrir aquele sorriso, aquele que me fez lembrar do seu sorriso, o que me faz tão bem. 
Mesmo quando nos silênciamos sinto uma energia boa.

-Que venham mais e mais dias de alegrias...

Meu dia começou super bem, super feliz.
( Bruna dos Anjos )



[...] Ninguém pode tirar de você seu mais belo sorriso, motivo de idas e vindas saltitantes. Coloque sua música favorita para tocar, respire fundo e faça o que de melhor sabe fazer: ser você.
( Caio Fernando Abreu )

Fotografia: Bruna dos Anjos

Descansos na alma.

Os domingos embrulhados em dia nublado, como o fim de um suspiro profundo. Os dias mais silenciosos, o som da madrugada invadindo o ar. Enfeito com
flores o vaso, a mesa, as lâmpadas que iluminam minhas ideias e meus
caminhos. Ah, essa minha eterna busca de felicidade, pelos cantos das mais
profundas incertezas. Esse descanso que busco nas histórias inventadas,
esses labirintos da alma, que tranquilos me avisam para aproveitar a calma
desse dia.
Descanse e repouse sobre as telas suas lembranças em busca de
memórias distantes mais uma vez, outra vez no era uma vez.

( Denise Portes )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Esperança

“Esperança é coisa secreta e costuma pousar diretamente em mim, sem ninguém saber. Não havia dúvida: a esperança pousara em casa, alma e corpo.”

(Clarice Lispector)

Fotografia: Bruna dos Anjos

A felicidade se faz, não se acha.

A estrada da tua felicidade não parte das pessoas e das coisas para chegar a ti; parte sempre de ti em direcção aos outros.  


( Adão Myszak )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Traga flores




 "O tempo é algo que não volta atrás.
Por isso plante seu jardim e decore sua alma,
Ao invés de esperar que alguém lhe traga flores."


(William Shakespeare)


Fotografia: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Saiba aproveitar

Ás vezes é melhor deixar pra lá, deixar tudo passar...
E somente deixar as coisas/pessoas/momentos bons da vida, para que ela possa ser ainda mais doce!

Aproveite cada segundo!


Frase e Fotografia: Bruna dos Anjos

Chama


Era uma chama qualquer,
em um lugar qualquer.
Ela estava ....
É, ela estava pronta para se apagar
a qualquer momento.
Eu guardei aquela chama,
do mesmo modo que se guarda um tesouro.
Deixarei ela guardada ...
Até o dia que você voltar. 


Só aqueles que sabem o que é esperar poderão me entender !




Fotografia: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Belas flores do eu morto

São de extrema beleza as flores.
Extrema, mesmo!
Porém distantes de mi(n).

Estava a olhá-las indiscriminadamente com o coração doendo,
Batendo (?),
Fadigando em querer buscá-las;
Alcançá-las.

Comecei a impor movimento às pernas.
Não atendiam. O cérebro ardia.
Não havia forças em meu ser.

Sim.
São extremamente belas e não consigo desviar meu olhar.
Quando as terei?
Nunca, faltam-me bem-aventuranças.

( Lucas Repetto - Alvedrio )


Fotografia: Bruna dos Anjos


Seguir




"Não aconselharia nem um cachorro a me seguir na rua."
(Cazuza)



Fotografia: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Recordações,

são formas que a alma encontra de renunciar o Adeus... 
de manter presentes as nostalgias do passado, 
permitindo a ilusão da proximidade dos motivos que fecundaram a saudade!

( Ana Neto )


Fotografia: Bruna dos Anjos



Peculiar



"A natureza dá a cada época e estação algumas belezas peculiares; e da manhã até a noite, como do berço ao túmulo, nada mais é que um sucessão de mudanças tão gentis e suaves que quase não conseguimos perceber os seus progressos. "
(Charles Dickens)



Fotografia: Jéssica Cunha

Arrepender


E nossa vida segue... para tentarmos e errarmos muitas vezes...
Isso é viver e aprender.

( Wandréia Carneiro )


Fotografia: Bruna dos Anjos 
Contato: brunacristinanjos@yahoo.com.br

Detalhes


Detalhes nada mais são que pequenas maneiras de se ver o mundo.
Renata Carneiro

...
É no detalhe que a vida acontece. Essa forma de olhar o mundo encanta os meus olhos.
Denise Portes

Fotografia: Bruna dos Anjos

Fotógrafo


"Não fazemos uma foto apenas com uma câmera;

ao ato de fotografar trazemos todos os livros que lemos,

os filmes que vimos, a música que ouvimos,

as pessoas que amamos
. "

(Ansel Adams)
Parabéns a todos que conseguem através de uma fotografia eternizar momentos e sentimentos.


Fotografia: Jéssica Cunha

Não apenas uma profissão, uma arte, mas também uma grande paixão

"Ser fotógrafo não é apenas ser  artista, é olhar o mundo num retângulo mágico onde a alma sensível enquadra a beleza mais singela do dia-a-dia.
Ser fotógrafo não é só clicar, é sujar os joelhos, buscar um ângulo diferente, revelar uma beleza desafiadora. "

Fotografia não é apenas arte ... É UMA PAIXÃO!

Dia 8 de janeiro - dia do fotógrafo!!! Parabéns para todos que também adoram eternizar cada momento.

Um grande beeijo



Vem cá


                         Quando não há mais nenhuma palavra a ser dita, atitude alguma a ser tomada, um palpite sequer a ser dado então restar dizer, vem cá!

 
( Néia Lambert )

Fotografia: Bruna dos Anjos

Nublado


"Se até mesmo o céu que é tão lindo, brilhante e cheio de vida de vez em quando amanhece nublado, não espere de mim um sorriso e simpatia nos dias em que eu acordar de mau humor."
(Ray Motta)




Fotografia: Jéssica Cunha
Contato:
jessicasilvacunha@gmail.com

Me deixa

Faz assim, solta o meu anjo e me deixa ser feliz. Não sei brincar no meio da confusão, meu olhar é triste quando coberto por lágrimas de descobertas e o meu coração grita alto quando está ferido. Mas eu sigo e vou descobrindo arco – íris e acreditando no dia mais bonito e em almas coloridas. É que sou feita de um material parecido com papel crepom, amassa, mas volta, enruga, mas brilha. Vai, solta meu anjo e me deixa encher de cata-vento minha vida e quem sabe assim, eu sopro você para bem longe dos meus pensamentos.

( Denise Portes ) 


Fotografia: Bruna dos Anjos 


Palavras sem sentido

Existem momentos em que eu me desloco de mim mesma e passo a viver , ou quer
dizer visitar outro lugar .
Fico distraída de tudo e todos , mas é no momento em que me distâncio de mim, logo percebo que ninguém mas me percebe.
( Paula Torres )


"Amares aquele que te matava, deixava-te sem outra opção. Como poderias
fugir, como poderias lutar, se ao fazê-lo magoavas o teu amor? Se a tua vida
era tudo o que tinhas para dar, como poderias recusá-la a alguém que amavas
verdadeiramente?"

( Stephenie Meyer - Amanhecer )


Fotografia: Bruna dos Anjos 


Entre eles


Em meio aos espinhos eu me acho.
É entre eles que está uma parte da minha essência.



Fotografia: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Livros e Café

Quando criança ela gostava de deitar na grama e olhar o vento balançando as folhas das árvores, isso sempre a acalmava. Ela também gostava de seu guarda chuva vermelho e a maneira como ele fazia contraste com o cinza da cidade, e fazia perguntas sem sentido para sua mãe, como:" Quando os vagalumes morrem eles viram estrelas no céu?". Era uma criança feliz, com uma mente aberta e imaginação solta, gostava de entrar na livraria "Livros e Café" e passar os dedos nos livros, enquanto sua mãe pagava o café.
Ela cresceu e se tornou uma moça diferente, não era fã de muita maquiagem, raramente usava vestido e era muito seletiva com relação a música, seus gostos eram bem particulares. Ela ainda gostava de guarda-chuvas vermelhos e adquirira o hábito de sempre ir na "Livros e Café", seu lugar preferido no mundo, agradecia em seu intimo por nunca ter sido fechada e ainda preservar o aspecto que tinha quando ela ainda era criança. Agora alimentava sua mente com poesia. As vezes ela sentava em uma das mesas da livraria e ficava com um livro aberto e acompanhada com uma xicara de café, quando desviava os olhos do livro observava em  volta  e fitava os rostos das pessoas como se tentasse descobrir seus pensamentos. Todos já estavam acostumados com sua presença, e a achavam um pouco estranha, menos o dono da livraria que a conhecia desde sua infância, ele achava graça e dizia que era sua freguesa mais fiel.
Certo dia ela estava passando os dedos na sessão de livros de poesia, e em sua distração esbarrou na mão  de outra pessoa. Assustada  levantou o olhar depressa  e encarou o rosto... Era um rapaz, alguém que ela nunca vira por ali, ele pareceu tão surpreso quanto ela sobre o breve contato, e sem saber como agir sorriu meio torto. Ela simplesmente sorriu de volta, pegou o livro que procurava e saiu sem encara-lo de novo, por algum motivo ela sentiu o rosto quente e o coração pular muito rápido e esse tipo de coisa era nova para seus sentidos.
E nos dias que se seguiram o rapaz  passou a vir para tomar café, e ela percebeu, ele sempre fazia anotações no guardanapo e lhe sorria quando os olhares se encontravam. E houve uma semana que ela não apareceu em nenhum dia, e apenas duas pessoas sentiam sua falta, o dono da "Livros e Café", e aquele rapaz de cabelos encaracolados e sorriso torto. A sessão de poesia ficará vazia sem sua presença.
Então num dia chuvoso e frio ela apareceu na livraria com seu guarda-chuva vermelho, e que não fora tão eficaz em seu propósito já que sua roupa estava um tanto molhada e seu cabelo bagunçado. Ela o repousou perto da porta, e sem olhar para ninguém foi direto para as prateleiras de livros. Pegou 1,2,3,4,5 livros, e os levou para o caixa, no qual o dono estupefato lhe perguntou: " Irá levar todos esses?", ela apenas acenou com a cabeça confirmando. O rapaz se levantou da mesa onde estava e ficou ao seu lado, a olhando, sorrindo, e isso a deixou um pouco nervosa, de repente ele se dirigiu ao dono que estava passando o ultimo livro na registradora: " Por favor, dois café! Um para mim e outro para esta moça, me parece que ela esta com um pouco de frio, um café irá esquenta-la", sim ela estava com frio, mas quem lhe dera permissão para pagar um café?
O dono olhou para ela, meio confuso se colocava os livros em uma sacola e lhe dava o troco, ou se ia logo pegar o café, por fim pegou duas xícaras para servi-los. " Sente-se comigo, a chuva irá demorar para passar e poderá tomar seu café!" isso a deixou completamente desconcertada, mas não viu como recusar a proposta, o mundo parecia estar acabando la fora.
Sentaram-se na mesma mesa, ela colocou os cinco livros empilhados a sua frente, e isso bloqueou a visão de ambos, o rapaz afastou os livros para o lado, e assim ela pode perceber o seus olhos castanhos sorridentes, e todo receio sumiu de sua mente, agora ela se sentia bem. Tomou um gole do café quente, e olhou para fora a chuva caia constante. Ele lhe sorria todo tempo. Falaram da chuva, de poesia, dos livros em suas casas, de música, e coisas engraçadas e tudo o que ele disse a agradou, como se naquele dia tivesse encontro alguém que em maneiras se parecia com ela. As horas se estenderam dentro daquela livraria, a chuva cessará, as ruas foram lavadas e os dois não haviam percebido isso, como se estivessem distantes do mundo.
Era quase hora do jantar, quando o dono lhes disse que iria fechar, ela empilhou os livros no colo, mas ele educadamente se ofereceu para carregá-los. Sua casa não era muito longe dali, apenas uns vinte minutos de caminhada, assim o assunto entre eles se estendeu até pararem a frente de sua porta. Com cuidado ele repousou os livros nos braços dela, se olharam por alguns segundos,  ela agradeceu,  e então se despediram.
Mais tarde enquanto folheava um dos livros que comprara,  caiu dele um guardanapo de papel, havia algo escrito nele a caneta a letra era bonita. Aproximou mais dos olhos e leu :" Volto la todo dia só pra te ver, você vai me achar um louco, ou estranho, mas não consigo te esquecer"...
 Ela sorriu sozinha, e pensou consigo mesma " não é estranho, é só diferente", como isso agradou.
E agora posso dizer que outros dias se seguiram, com encontros na "Livros e Café", e duas pessoas la dentro tinham certeza que haviam tido uma grande sorte, naquilo que chamam de acasos, talvez esta história vire poesia num livro.


( Nathy Cayres - O meu lado da História )


Fotografia: Bruna dos Anjos