« Nossa intenção é provocar emoções. Todas elas. »

Natureza animal


"A natureza dos gatos é parecida com a das meninas: também eles possuem aquela ferocidade mansa, toda contida e dissimulada (…) Ela chorava, ele miava. Incompreensão da própria angústia, uniam-se no ultrapassar de seus limites, iam além, muito além, completamente sós dentro do apartamento - quem sabe do universo."
 
(Caio F. Abreu)



E ainda há aquela velha semelhança do 
pequeno mistério escondido no olhar. 
Um livro em branco. 
Os segredos das lutas e a mansidão 
ao demonstrar carinho. 
O instito de proteção e 
aquele leve toque
 de vingança. 
Talvez sejam 
até iguais, quem sabe ...
(Jéssica Cunha)



Fotografia : ssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com 

Antipático

Não sou antipático. 
Apenas acho que não tenho a obrigação de rir para todo mundo.
( Eminem )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Sobre a garota que escreve

Não sei porque escrevo... Mas como algo incontrolável, 
venho aqui e escrevo!
Que sentido tem minhas palavras, para que servem,
 o que realmente são ou completam?
 Nem sempre tenho respostas para os meus próprios vícios.
Nem sempre sei  o motivo de algumas persistências  que simplesmente não se dissipam.
Escrevo, escrevo, e me sinto bem! 
Não sei quantos podem entender os meus sentimentos escritos, 
e tão pouco sei quantos se encontram neles. 
Mas durante todo esse tempo de escritos e leituras em outros espaços como o meu, 
acredito que todos nós temos algo diferente para compartilhar, 
algo que só nós temos, e ninguém mais pode ter igual, 
e quando disserto tudo aqui neste mundinho de letras, penso que estou compartilhando coisas únicas que outras pessoas também podem compreender. 
Aprendemos a ler e a escrever quando crianças, 
mas nem todo mundo enxerga este encanto, outros só o fazem por necessidade. 
Não sou intelectual, e não possuo por hora um best-seller de minha autoria em alguma livraria, apenas tenho este espaço e infinitas coisas que aqui já compartilhei. 
E sempre, mesmo que demore dias, eu volto, 
as vezes contra minha vontade, mas sinto uma satisfação 
tão gostosa quando a postagem esta pronta, e algo que antes só tinha 
forma em minha mente ganha corpo e vida aqui.
Poderia ficar um bom tempo nessa postagem tentando
 decifrar algo que não controlo, mas não teria uma resposta concreta. 
Acho que só quem se sente assim,  no meio dessas variações de palavras, sentimentos, 
e necessidade poderia entender o porque de uma garota tão comum e com turbilhões de pensamentos, ainda se deixa levar por um singelo blog!
Só sei que gosto, só sei que por hora essa coisa em mim não tem freio,
 e porque acho que minhas palavras algumas vezes tem utilidade,
 e falam por outros que apenas as tornam um sussurro em sua mente. 
Quanto tempo isso vai durar? Outra resposta indefinida, mas ainda estou por aqui! 
( Nathy Cayres - O meu lado da História )


Escrever salva-me diariamente.
- Me senti neste texto.
Fotografia: Bruna dos Anjos

Bipolar, Eu?



Eu não sou bipolar
o motivo da minha mudança de humor são as pessoas.




Fotografia: ssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Se o amanhã não vier

Meu vício de hoje, pode ser o passo pro meu abismo de amanhã.
 (  Markus Zusak - A menina que roubava livros )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Duas xícaras de café, por favor.



Duas xícaras de café, por favor.
Em uma você adiciona alegria e na outra amor.


Bom dia seguidores do Enredo! 



“O café deve estar quente como o inferno, ser negro como o diabo, puro como um anjo e doce como o amor.” 
(Charles-Maurice de Talleyrand-Périgord)




Fotografia: ssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Viver

Têm repercutido em suas vidas. 
É bem como a escritora dizia: viver ultrapassa todo o entendimento 
e o importante é, às vezes, apenas tocar, pois o que tocamos pode florescer 
e outros podem pegar com as mãos.
(Clarice Lispector )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Stronger

Você acha que teve o melhor de mim
Acha que você riu por último
Aposto que acha que tudo de bom se foi
Acha que você me deixou machucada
Acha que eu voltaria correndo
Querido, você não me conhece,
porque você está absolutamente errado

Você ouviu por aí que eu estava recomeçando com outra pessoa
Disseram que eu estava seguindo em frente, superando você

Você não achou que eu fosse voltar
Que eu voltaria tão oscilante
Você tentou me acabar comigo, mas você vai ver

Graças a você eu tenho começado algo novo
Graças a você eu não sou a do coração partido
Graças a você finalmente eu estou pensando mais em mim
Sabe, no fim, o dia que você se foi, era apenas o meu começo
No fim...

O que não te mata, te faz mais forte
Te faz sentir maior
Não significa que estou só quando estou sozinha
O que não te mata, te faz um guerreiro
Te faz dar passos mais leves
Não significa que estou destruída só porque você se foi
( Kelly Clarkson, Stronger )
 
 
Fotografia: Bruna dos Anjos

Simples de coração, nada mais

O meu silêncio é uma nota preta num papel vazio
mas ainda é uma nota que toca,
e toca lágrima toca céu
dura uma noite
mas no amanhecer vem a alegria
- Rosa de Saron, Versos


Fotografia: Bruna dos Anjos

Acho cômico

Horas antes de sair de casa, ele me mandou um sms, dizendo que me esperaria na estação, eu somente respondi:
 Ok! Te encontro lá, e também quero falar com você.  
 Fulanofalar sobre o que?
 Sobre agente;
 Fulano: Hum... Você não está mais afim de ficar né?
(homem também tem intuição.)
 A partir daí não respondi, tem coisas que é melhor serem resolvidas pessoalmente. Não o esperei na estação segui direto para o local da apresentação. Eu estava trajando luto, sapatilha, calça, blusa tudo preto, por ser uma apresentação clássica é necessário seguir o costume. Incrivelmente estava calma e convicta das minhas decisões. Sentei no banquinho branco de plástico, esperei ele chegar.
 Ele chegou, também estava trajando luto. Ainda eu continuava calma, ele sentou ao meu lado, respirei fundo. Como de costume me cumprimentou com um selinho, ambos sabíamos que aquela cena seria a ultima.
 _Você disse que queria conversar comigo?_ indagou ele.
 _Sim, respondi com firmeza. Prossegui_ lembra quando conversamos sobre relacionamentos e você me contou que estava preste á se casar, mas por uma briguinha tudo foi desmarcado? _Assentiu ele com a cabeça.
 Continuei:_ Eu estive pensando, você e ela tem muita coisa pra conversar, pois  se a relação de vocês chegaram nesse ponto de planejar um casamento, mostra que muita coisa precisa ser colocada nos seus devidos lugares. Ainda olhando para o lado, ele deu um sorrisinho meio pensativo.   Uma breve pausa.
  Acho muito bonito esse ato que você está fazendo_ disse ele, e realmente eu e ela precisamos conversar. Sábado que passou somos no shopping essa camiseta foi ela que comprou.
  Hã...você e ela foram no shopping?_disse eu de uma forma mais áspera e irônica. 
"Seu bosta! então quer dizer que você me fez de lanchinho!? Sabe o que é pior? por um tempo tive a inocência de querer ter algo sério. Graças a Deus nunca fui de me precipitar com supostos "sentimentos", por mais que não fossemos namorados mas seria legal se  você tivesse um pouco de respeito e consideração. Analisamos o caráter de uma pessoa nas mínimas coisas e isso é o que você não tem". Não tive coragem de falar isso, somente pensei e cruzei os braços.
  Continuou ele: _Mas então,quando eu conversar com ela dependendo do que se resolver, agente poderia voltar a ficar e quem sabe ter algo mais sério, que tal?."Hãããããããããããã.. não me fdiga cara! Então você está me tratando como 2 opção?"_pensei, mas não falei.
  _Não Não.. Tenho outras prioridades nada de namoro (ainda mais com você!_ mais um pensamento inconsequente) quero ficar de boa, me entende?  _Então tá bom_disse ele, _ sinceramente eu queria ter algo sério, mas não vou, foi muito bom esse tempo que passei com você,  _terminou ele. Olhando pra mim  sorriu de uma forma inocente, retribui o sorriso, mas de uma forma sínica. Para finalizar o drama, ele me abraçou e disse  no pé do ouvido que iria sentir minha falta.
.   .   .


Fotografia: Bruna dos Anjos

Boteco

"Quem nunca fez uma reuniao em bar, não sabe o poder
 de inspiração de uma mesa de bar."
Lê Fernand's )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Um dia acontece

" E um dia, quando você menos espera, 
o AMOR  verdadeiro acontece.
 Chega suavemente, como o vôo de uma borboleta...
 E toca seu coração e alma,  intensamente!
 ( Vanya Moreira )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Sweet, life, sweet...

Se você assim desejar, a vida pode ser mais doce 
e colorida do que docinhos de aniversário de criança...

( Daynara Aparecida )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Animais ou pessoas?



É incrível a capacidade que tenho de demonstrar amor a um animal. 
Tão puro, tão singelo, tão doce.
                                                                           Gostaria de me sentir assim com as pessoas.




Fotografia: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Novas flores

Desapegar do que virou lembrança é difícil e necessário,
 pois é preciso que folhas caiam para que flores novas floresçam. 
E quando florescem ramos cor de rosa no meu interior e que tão profundamente 
eu mergulho em um silêncio 
misterioso para mim, a calma chega mansamente. 
Sábios são os mergulhos na alma, 
para que nossos sentimentos renasçam em versos e metas.

( Denise Portes )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Paradise


Quando ela era apenas uma garota
Ela esperava o mundo
Mas ele vôou fora de seu alcance
Então ela fugiu em seu sono
(...)
A vida continua,
Ela fica tão pesada
O Ciclo da Borboleta se Rompe
Cada lágrima, uma cachoeira
Na noite, a noite turbulenta
Ela fechará seus olhos
Na noite tempestuosa
Para longe ela voaria
(...)
E assim por debaixo dos céus tempestuosos
Ela dizia: oh-oh-oh-oh-oh-oh
Eu sei que o sol deve se pôr para levantar"

E então debaixo daqueles céus tempestuosos
Ela diria: oh-oh-oh-oh-oh-oh
Eu sei que o sol deve se pôr para levantar

Isto poderia ser o para-para-paraíso
paraíso
paraíso
Coldplay - Paradise )

Fotografia: Bruna dos Anjos

É dia santo

Dia dos Namorados está todo errado. 
O pessoal entendeu errado a data. Não é para provar amor.
 Não é show para demonstrações de quanto se ama e se quer a namorada.
[...]
Amor não se prova, amor se é. 
É um dia para oferecer mais atenção do que os demais, 
como um feriado religioso.
( Carpinejar )

- Feliz dia dos namorados, por que eu estou forever alone .haha'

Fotografia: Bruna dos Anjos

Cuide de tudo que for verdadeiro

Cuide bem do seu amor
Seja quem for 
                                                       Paralamas do Sucesso


Fotografia: Bruna dos Anjos
Contato: brunacristinanjos@yahoo.com.br

As alegrias são intensas

Sou composta por urgências
minhas alegrias são intensas
minhas tristezas, absolutas. 
Me entupo de ausências, 
me esvazio de excessos.
Eu não caibo no estreito, 
eu só vivo nos extremos. 
Eu caminho, desequilibrada, 
em cima de uma linha tênue 
entre a lucidez e a loucura. 
De ter amigos eu gosto 
porque preciso de ajuda pra sentir, 
embora quem se relacione comigo 
saiba que é por conta-própria e auto-risco. 
O que tenho de mais obscuro, 
é o que me ilumina. 
E a minha lucidez é que é perigosa ... 
Se eu pudesse me resumir, 
diria que sou irremediável!
( Clarice Lispector )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Eu gosto de delicadezas

"Eu gosto de delicadeza.
Seja nos gestos, nas palavras, nas ações, no jeito de olhar,
no dia-a-dia e até no que não é dito com palavras, mas fica no ar..."
( Manoel Bandeira )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Na música, o próprio silêncio tem ritmo

Quem ouve música, sente a sua solidão  de repente povoada.
( Robert Browning )


Fotografia: Bruna dos Anjos

Não vejo a hora de te encontrar

Alguma coisa aconteceu
Do ventre nasce um novo coração
(...)
O que fazes por sonhar
É o mundo que virá prá ti e prá mim
Vamos descobrir o mundo juntos baby
Quero aprender com o teu pequeno grande coração
Meu amor

( Cássia Eller - 1º de Julho )


Fotografia: Bruna dos Anjos 

O prazer da música



"A música oferece às paixões o meio de obter prazer delas."
(Nietzsche)




Fotografia: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Vá, imagine

É sempre bom deixar o passado onde ele realmente deve ficar, no passado.
É necessário abandonar sentimentos antigos,
para que possamos viver o presente com toda força.
O tempo nunca pará para que possamos voltar atrás.
E sempre teremos tempo pará inventar um mundo novo.
( Bruna dos Anjos )



Fotografia: Bruna dos Anjos

Anotações Insensatas



Mas não se pode agir assim, a amiga avisou no telefone. Uma pessoa não é um doce que você enjoa, empurra o prato, não quero mais. Tentaria, então, com toda a delicadeza possível, sem decidir propriamente decidiu no meio da tarde — uma tarde morna demais, preguiçosa demais para conter esse verbo veemente: decidir. Como ia dizendo, no meio da tarde lenta demais, escolheu que — se viesse alguma sofreguidão na garganta, e veio — diria qualquer coisa como olha, tenho medo do normal, baby.
Só que, como de hábito, na cabeça (como que separada do mundo, movida por interiores taquicardias, adrenalinas, metabolismos) se passava uma coisa, e naquele ponto em que isso cruzava com o de fora, esse lugar onde habitamos outros, começava a região do incompreensível: Lá, onde qualquer delicadeza premeditada poderia soar estúpida como um seco: não. E soou, em plena mesa posta.
Tanto pasmo, depois.
Sozinho no apartamento, domingo à noite. Todas as coisas quietas e limpas, o perfume adocicado das madressilvas roubadas e o bolo de chocolate intocado no refrigerador — até a televisão falar da explosão nuclear subterrânea. Então a suspeita bruta: não suportamos aquilo ou aqueles que poderiam nos tornar mais felizes e menos sós. Afirmou, depois acendeu o cigarro, reformulou, repetiu, acrescentou esta interrogação: não suportamos mesmo aquilo ou aqueles que poderiam nos tornar mais felizes e menos sós? Não, não suportamos essa doçura.
Puro cérebro sem dor perdido nos labirintos daquilo que tinha acabado de acontecer. Dor branca, querendo primeiro compreender, antes de doer abolerada, a dor. Doeria mais tarde, quem sabe, de maneira insensata e ilusória como doem as perdas para sempre perdidas, e portanto irremediáveis, transformadas em memórias iguais pequenos paraísos-perdidos. Que talvez, pensava agora, nem tivessem sido tão paradisíacos assim.
Porque havia o sufocamento daquela espécie de patético simulacro de fantasia matrimonial provisória, a dificuldade de manter um clima feito linha esticada, segura para não arrebentar de súbito, precipitando o equilibrista no vazio mortal.
Cheio de carinho, remexeu no doce, sem empurrar o prato. Preferia a fome: só isso. Pelo longo vício da própria fome — e seria um erro, porque saciar a fome poderia trazer, digamos, mais conforto? — ou de pura preguiça de ter que reformular-se inteiro para enfrentar o que chamam de amor, e de repente não tinha gosto?
De onde vem essa iluminação que chamam de amor, e logo depois se contorce, se enleia, se turva toda e ofusca e apaga e acende feito um fio de contato defeituoso, sem nunca voltar àquela primeira iluminação? Espera, vamos conversar, sugeriu sem muito empenho. Tarde demais, porta fechada. Sozinho enfim, podia remexer em discos e livros para decidir sem nenhuma preocupação de harmonia-com-o-gosto-alheio que sempre preferira um Morrison a Manuel Bandeira. Sid Vicious a Puccini. A mosca a Uma janela para o amor, sempre uma vodca a um copo de leite: metal drástico. Era desses caras de barba por fazer que sempre escolherão o risco, o perigo, a insensatez, a insegurança, o precário, a maldição, a noite — a Fome maiúscula. Não a mesa posta e farta, com pratos e panelas a serem lavados na pia cheia de graxa — mas um hambúrguer qualquer para você que escrevo.
Mas os escritores são muito cruéis, você me ama pelo que me mata com coca-cola no boteco da esquina, e a vida acontecendo em volta, escrota e nua.
Não muito confuso, assim confrontado com sua explícita incapacidade de lidar com. A palavra não vinha. Podia fazer mil coisas a seguir. Mas dentro de qualquer ação, dentes arreganhados, restaria aquela sua profunda incapacidade de lidar com. Um instante antes de bater outra, colocar uma velha Billie Holiday e sentar na máquina para escrever, ainda pensou: gosto tanto de você, baby. Só que os escritores são seres muito cruéis, estão sempre matando a vida à procura de histórias. Você me ama pelo que me mata. E se apunhalo é porque é para você, para você que escrevo — e não entende nada.
(Caio F. Abreu)


Fotografia: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Com que cor eu vou?

Sábado á noite, com que cor eu vou??


Fotografia e frase: Bruna dos Anjos

Desacreditados no amor



Cada um acredita no que quer, mas é incrível como as pessoas colocam sua fé em coisas tão futéis e desnecessárias ao invés de acreditar naquilo que realmente importa. Realmente, o amor foi banalizado. Mas banalizado para aqueles que não tem esperança, fé, convicção e ,talvez, amor próprio
Se desde a antiguidade os conceitos de amor já eram discutidos, porque ter dúvidas sobre um sentimento tão bonito?
Acredite no real, desacredite no irreal.  
O amor é real, tenha certeza disso.
Se não o demonstram, demonstre você. Porque certas atitudes devem partir dos "atingidos", dos "não-amados", dos "incompreendidos", dos "desacreditados".

O amor é raro? Não. Só será se a sua demonstração de amor for rara. 
Tente amar o não amável e verás que certas situações começarão a fazer sentido.

Acredite no amor, desacredite na falta de amor.
(Jéssica Cunha)


"Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, 
 somando as compreensões, eu amava. 
Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente."
(Clarice Lispector)


Fotografia e texto: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com



Esse tal infinito


"E eu acredito no mecanismo do infinito,
fazendo com que tudo aconteça na hora exata."
(Caio F. Abreu)


"Nosso inconsciente é infinito."
(Clarice Lispector)



Fotografia: Jéssica Cunha
Contato: jessicasilvacunha@gmail.com

Hoje é um bom dia para começar novos desafios

Não importa aonde você parou...
Em que momento da vida você cansou...
O que importa é que sempre é possível e necessário "Recomeçar".
Recomeçar é dar uma chance a si mesmo...
É renovar as esperanças na vida e o mais importante... 
Acreditar em você de novo.
Sofreu muito nesse período?
Foi aprendizado...
Chorou muito?
Foi limpeza da alma...
Ficou com raiva das pessoas?
Foi para perdoá-las um dia...
Sentiu-se só por diversas vezes?
É porque você fechou as portas até para os anjos...
Acreditou que tudo estava perdido?
Era o início da sua melhora...
Pois é... 
Agora é hora de reiniciar...
De pensar na luz...
De encontrar prazer nas coisas mais simples de novo...
Que tal um novo emprego?
Um corte de cabelo arrojado... 
Diferente?
Um novo curso...
Ou aquele velho desejo de aprender a pintar... 
Desenhar...
Dominar o computador...
Ou qualquer outra coisa...
Olha quanto desafio...
Quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus, o esperando.
Está se sentindo sozinho?
Besteira... 
Tem tanta gente que você afastou com o seu "período de isolamento"...
Tem tanta gente esperando apenas um sorriso seu para "chegar" perto de você. 
Quando nos trancamos na tristeza...
Nem nós mesmos nos suportamos...
Ficamos horríveis...
O mal humor vai comendo nosso fígado...
Até a boca fica amarga!
Recomeçar...
Hoje é um bom dia para começar novos desafios.
Onde você quer chegar?
Ir alto...
Sonhe alto...
Queira o melhor do melhor...
Queira coisas boas para a vida...
Pensando assim trazemos para nós aquilo que desejamos...
Se pensamos pequeno...
Coisas pequenas teremos...
Já se desejarmos fortemente o melhor e, principalmente, lutarmos pelo melhor, o melhor vai se instalar na nossa vida.
E é o hoje o dia da faxina mental...
Joga fora tudo que te prende ao passado...
Ao mundinho de coisas tristes...
Fotos...
Peças de roupa, papel de bala...
Ingressos de cinema, bilhete de viagens...
E toda aquela tranqueira que guardamos quando nos julgamos apaixonados...
Jogue tudo fora...
Mas, principalmente, esvazie seu coração...
Fique pronto para a vida...
Para um novo amor...
Lembre-se: somos apaixonáveis...
Somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes...
Afinal de contas...
Nós somos o "Amor".
"Sou do tamanho daquilo que vejo e não do tamanho da minha altura".
 ( Carlos Drummond de Andrade )



Fotografia: Bruna dos Anjos